Governo do Distrito Federal
Governo do Distrito Federal
11/11/20 às 12h35 - Atualizado em 11/11/20 às 12h46

Trânsito na Av. Central de Taguatinga terá desvio de 300 metros no sentido Plano Piloto-Ceilândia

COMPARTILHAR

 

Com o avanço dos serviços no Túnel de Taguatinga, o Governo do Distrito Federal iniciou nesta semana as obras de desvio na Avenida Central, no sentido Plano Piloto-Ceilândia, logo na entrada da cidade, próximo ao viaduto da EPTG/EPCT. O desvio se faz necessário para dar início à construção da parede norte do Túnel. A previsão é que os serviços sejam concluídos nos próximos dias e o desvio comece a funcionar no dia 14 de novembro.

 

Serão cerca de 300 metros de desvio. As três faixas de trânsito atuais da via serão deslocadas para a direita do motorista que circula pela via e construídas no que hoje são os canteiros, alguns recuos e pequenos bolsões de estacionamento. Desta forma, o motorista que chega à Taguatinga pela EPTG terá que fazer um pequeno desvio à direita.

 

“A expectativa é que o impacto no trânsito seja mínimo, uma vez que o número de faixas será mantido. Sabemos que naquele ponto existe um estrangulamento e que tal situação será solucionada apenas com a obra do túnel concluída. Faremos toda a sinalização da via e contamos com o apoio da população para evitar transtornos. Qualquer necessidade, iremos intervir para garantir o fluxo de veículos e pessoas”, detalha o engenheiro Ricardo Terenzi, subsecretário de acompanhamento e fiscalização de Obras do GDF.

 

A parede norte terá início exatamente no ponto em que começa a futura rampa de acesso ao Túnel. “Ou seja, trata-se daquele desnível na pista antes de acessar o emboque do túnel, que é protegido por paredes nas laterais, no caso a norte e a central. São cerca de 200 metros até a entrada do túnel, onde a pista já estará nivelada, e a parede norte se conectará à parede de emboque norte”, explica o secretário de obras, Luciano Carvalho.

 

A primeira parte das obras consiste principalmente na execução dos serviços para formar as paredes do túnel. “São as chamadas paredes diafragma, formadas por painéis de aço, também conhecidos como lamelas, que são preenchidos com concreto, e possibilitam a estabilização do solo”, esclarece o engenheiro da Secretaria de Obras Antônio Carlos.

 

Além da parede norte, outras seis paredes serão construídas para formar todo percurso do túnel. Para isso, serão concretadas 1046 lamelas. Até o momento, 20% desse serviço de concretagem está finalizado. total. “Concretamos 205 lamelas das paredes do emboque norte e sul, central e sul. Agora iniciaremos a parede norte, que é composta por 305 lamelas. É um serviço complexo que perdurará pelas próximas semanas. Algumas lamelas necessitam de uma escavação de 18 metros de profundidade para serem instaladas. Importante destacar que estamos avançando dentro do cronograma previsto”, destaca Terenzi.

 

STATUS DAS OBRAS

 

Atualmente, o consórcio de empresas contratado para execução dos serviços atua na escavação, armação e concretagem das paredes diafragma, assim como na escavação e projeção de concreto dos taludes e na escavação para a instalação das muretas guia.

 

SOLUÇÃO

 

Com investimento de R$ 275,7 milhões e previsão de entrega para fevereiro de 2022, a obra do túnel vai melhorar consideravelmente a fluidez do trânsito na área central de Taguatinga. Além de garantir o fluxo de veículos sem retenções nos dois sentidos da via na parte subterrânea, vai oferecer uma via alternativa pela superfície para o Centro de Taguatinga.

 

O consórcio Novo Túnel é responsável por executar as obras. Os recursos são oriundos de contrato de financiamento firmado pelo GDF com a Caixa Econômica Federal. O Túnel de Taguatinga faz parte do Corredor Eixo-Oeste, que terá 38,7 quilômetros de extensão e ligará o Sol Nascente/Pôr do Sol ao Plano Piloto (Eixo Monumental e Estação Asa Sul), passando por Taguatinga.