Governo do Distrito Federal
23/03/22 às 14h33 - Atualizado em 23/03/22 às 17h18

Alunos de engenharia farão visita técnica às obras do túnel de Taguatinga

Além de aquecer a economia e gerar diversos empregos, a quantidade de obras públicas espalhadas por todo o DF carregam algo valioso e essencial para o futuro da cidade: o acúmulo de conhecimento. E é com o intuito de compartilhar esse saber e proporcionar uma experiência única que o GDF vai iniciar um programa de visitas técnicas às obras em andamento no DF com os alunos de cursos superiores de diversas áreas do conhecimento.

 

A primeira visita será nesta sexta-feira (25), às 9 horas. Cerca de 30 alunos do curso de Engenharia Civil do Centro Universitário de Brasília (UniCeub) farão uma visita técnica às obras do Túnel de Taguatinga. “É um piloto. Vamos verificar qual a melhor dinâmica e avaliar em conjunto um padrão para facilitar o andamento das visitas. Logo, vamos publicar as formas de contato e agendamento das visitas para todas instituições do DF”, adianta Maurício Canovas, engenheiro civil do GDF e coordenador do Programa.

 

A ideia é que as visitas técnicas sejam realizadas sempre às sextas-feiras pela manhã. Os alunos serão acompanhados por um técnico de segurança e um engenheiro da obra, responsáveis por realizar as explicações técnicas aos alunos.

 

Inicialmente, as obras selecionadas para visitas técnicas são o Túnel de Taguatinga e os viadutos da Estrada Parque Setor Policial (ESPM). As opções, contudo, devem aumentar, uma vez que outros órgãos do GDF, como Novacap e DER, já demonstraram interesse em abrir as portas de suas obras em andamento.

 

Para o Secretário de Obras do GDF, Luciano Carvalho, esta iniciativa fortalece uma característica da gestão atual de estimular e promover uma cultura de formação profissional e zelo com as obras de artes especiais da cidade.

 

“As obras em marcha no DF são grandiosas e complexas. Impressionam até os profissionais mais experientes. O conhecimento e a experiência ali adquiridas são fundamentais para a formação do profissional. Abrir as portas das obras para os alunos é investir no futuro humano e profissional do DF”, afirma o secretário.